O que não te contaram sobre a mesa de doces do seu casamento

A parte mais legal, saborosa e doce da festa precisa de atenções especiais. Além de que deve seguir a proposta e a característica do casamento, seu louvor só é garantido quando os noivos contratam fornecedores confiáveis para se envolverem no planejamento. Sem sombra de dúvida, a mesa de doces no casamento é o grande palco da festa e atrai muitos olhares e desejos.

Escalar as tarefas aos profissionais mais qualificados, não surtar na escolha dos modelos e cores das forminhas e ainda por cima pensar em uma receita personalizada da vovó que está a gerações na família de vocês para incluir dentre os itens imprescindíveis são requisitos mínimos para iniciar a pensar nela.

MONTANDO A MESA DE DOCES

  1. – Visão geral: imagine-a como cenário da festa e não economize na decoração. Ela é o item central do projeto de decoração
  2. – Acessórios: prata, cristal, cobre e muro chinês para festas tradicionais e clássicas, rattan para um estilo mais despojado e rústico
  3. – Suportes: diferentes alturas são uma boa pedida, mesmo existindo uma tendência forte por mesas retas, com pouco suporte, utilizando bandejas e a própria mesa
  4. – Tipos e cor das peças: suportes em prata são aqueles tradicionais e ornam com quase todos os tipos de materiais. Porém, dourado e cobre são a onda do momento.
  5. – Mesas temáticas: Desde produções tailandesas, italianas, mesas temáticas inspiradas no Egito, de “bar”… O que manda são as peças usadas na montagem e os doces personalizados referentes a tal cultura
  6. – Posicionamento: o ideal é que a mesa fique posicionada próxima a pista de dança, para que os convidados possam acessar facilmente ela.
  7. – Horário da montagem: na média duram 5h antes do início do evento, ficando pronta com 2h de antecedência
  8. – Doces agrupados: organize todas as bandejas de brigadeiro gourmet, copinhos juntos, doces do mesmo sabor e assim seguidamente.
  9. – Tags do nome dos doces: é opcional, mas ajuda bastante. Principalmente para aqueles convidados alérgicos. Pode-se colocar também o nome dos doces no cardápio das mesas ou em uma lista com todos as variedades em algum lugar da área de doces
  10. – Babá de mesa: sim! É importante uma pessoa que fique na mesa para mantê-la organizada, saber reconhecer os doces pelo nome (e recheio) e ir repondo os doces nas mesas conforme forem acabando, inclusive trocando os pratos maiores por menores conforme forem acabando o estoque.

Mesa de Doces, Quais Escolher?

São muitas opções de docinhos de casamento que você pode adotar para agradar os convidados ao longo da comemoração..

E, do mesmo jeito que todos os pratos e doces que envolvem o seu casamento, é preciso permitir uma atenção sui generis para os doces. Uma vez que, além de bonitos, combinando com o ornamento, eles precisam ser deliciosos!

Antes de tudo, é preciso que você saiba que não são somente os docinhos que ficarão expostos na mesa de doces que você tem que escolher. Possui os outros doces servidos em outros momentos da festa, os bem-casados, tortas para a alimentação do café.. isto é, vários doces que fazem a diferença ao longo da grande comemoração. Afinal de contas, qual convidado é que não gosta um docinho em seguida – ou ao longo – a refeição?!

Para iniciar a escolha dos doces para a festa, nossa orientação é: pesquise bastante (blog de casamento). Veja todas opções de doceiras e procure a avaliação de distintos indivíduos que já fecharam o serviço com ela. Quanto melhor for a recomendação, menor a possibilidade de você não correr o perigo de errar na escolha. Dessa maneira você obtém os melhores fornecedores, marque uma reunião no lugar no qual os doces são preparados – é muito importante ter claro que o local é higiênico e adequado – e faça muitas degustações, assim não tem risco de errar.

Se você ficar perdida sem saber qual doce encomendar, opte constantemente pela doceira que faça o melhor doce, e não a que capricha mais na ornamento. Os convidados dão mais preferência ao gosto que a aparência. O que conta é a qualidade dos docinhos! A porção de doces de casamento varia de acordo com a porção de convidados. Porém isto não significa que você precisa adquirir um docinho para cada pessoa que estiver na festa, na proporção exata.

Não! O mais indicado é adquirir doces a mais – especialmente nos casamentos diurnos, que os convidados costumam ingerir mais doces que os noturnos. Procure adquirir mais ou menos de 4 a 5 docinhos para cada pessoa convidada para a festa. Dessa maneira, ninguém corre o risco de ficar sem.

Se a ingestão de doces for bastante grande, garanta que cada espacinho da mesa reservada para os doces esteja cheio com diferentes tipos de doces. Mesas de doces com espaços faltando acabam estragando o ornamento, por causa disso: Atenção! Não tenha medo de variar nos tipos de doces, nem sequer de sabores exóticos. Os convidados adoram analisar sabores de docinhos novos!

Apenas não se esqueça de deixar a escolha dos doces clássicos disponível similarmente, como o Camafeu, doces com frutas e brigadeiros, para os que preferem os clássicos de toda aos doces mais sofisticados. Caso você ainda esteja com dúvidas, confira o artigo decoração de casamento simples!

Como falamos, a alimentação de doces de casamento necessita estar preenchida com o máximo de doces possíveis, de acordo com o dimensão da alimentação. O bolo é o grande destaque, então, ele deverá ser posicionado no centro da mesa, para atrair a atenção dos convidados ,inclusive.

Para acomodar os demais doces, é necessário deixar cada tipo perto um do outro, separados pelo suporte ou acessório em que ele estará posicionado, ou diretamente na mesa. Você pode usar produtos que combinem com os ornamentos, para deixar a mesa de doces mais elaborada e bonita. E não se esqueça de colocar em cada bacia de doce, uma plaquinha identificando o nome de cada docinho, de maneira que os convidados saibam o que estão experimentando. Isso é importante.

Cozinhar: Hobby e Terapia

O que pode ser mais prazeroso e relaxante após um dia de trabalho pesado do que fazer um jantarzinho pra lá de especial? O número de pessoas que tem buscado na gastronomia uma forma de terapia está aumentando. Pessoas que aproveitam o tempo disponível para testar aquele prato ou receita que viu na internet e ainda por cima consegue relaxar submergindo no mundo das porções, medidas, ingredientes e todos aparatos e acessórios encontrados em uma cozinha.

A existência demonstra um antagonismo: quanto mais se come na rua, mais se valoriza a alimentação caseira. Pesquisas atuais mostram que nos EUA 50% da indivíduos faz as refeições na rua; no Brasil esse algarismo já chega aos 40%. E pode ser que seja essa precisamente a explicação para o aumento do número de pessoas que vê na gastronomia um tipo de hobby: “O estilo de vida atual desagregou bastante as famílias, por isso o alimento virou uma forma de você recompor reuniões familiares e de colegas. O resultado é que os pratos apresentados marca as indivíduos, várias vezes mais que a conversa”, diz o chef Marcello S., catedrático do curso de Gastronomia.

Porém essa é somente uma das causas. “O agradar de realizar algo, geralmente para os mais chegados, e acabar recebendo elogios. Várias coisas na vida demoram para serem realizadas porém o alimento você inicia e termina naquele momento”, acrescenta Marcello. “O agradar de estar juntamente e alimentar-se é algo alegórico”, acata. “Além do mais, o próprio feito de ser um exercício que necessita de atenção e definição acaba sendo a chave para realizar-nos e tirar o trabalho da cabeça”, aponta o catedrático.  Finalmente, o grande “x” da gastronomia é alimentar – e não somente permitir de alimentar-se. Ela é o contraponto acurado para uma geração fast-food no qual o alimento pronto ganha cada vez mais espaço nas prateleiras dos mercados e nos estômagos. Apenas os EUA lançam por ano 17 mil novos itens alimentícios industrializados. Alimento que necessita de conservante, sódio, colorante e vários mais aditivos químicos. “No momento em que nós preparamos um prato artesanalmente nós evitamos tudo isto e também usamos ingredientes da melhor qualidade. É evidente que o gosto encontra-se muito melhor e a satisfação de quem come é muito maior”, diz Marcello.

Boas Vindas

Olá leitores! Que grande prazer escrever o primeiro artigo do blog!!

Estou sentindo uma sensação muito boa com a ideia de dividir tudo com vocês (espero para que os primeiros leitores se tornem visitantes constantes), um pouco das minhas ideias, pensamentos e cotidiano! Faz algum tempo que desejo criar o blog mas nunca saia do papel, e agora finalmente terminei o blog!

Primeiro quero falar rapidamente sobre mim, quem deseja saber mais detalhes basta dar uma olhada no perfil aqui do blog. Eu sou Beatriz Lopes, formada em gastronomia e apaixonada pelo universo da culinária e gastronomia. Tudo desse universo me encanta e estou sempre procurando me atualizar por prazer e hobby. Por isso, decidi criar esse blog, e pretendo alçar ainda voos maiores com a criação de outras redes sociais.

Acredito minha atenção para o universo gastronômico despertou por influência de uma pessoa especial, minha mãe, que sempre foi muito vaidosa e sempre foi uma cozinheira de mão cheia. Acabei absorvendo isso tudo naturalmente e hoje estou aqui para compartilhar um pouco do que aprendi nesses anos todos com as leitoras e leitores do blog.

Vamos falar muito sobre tudo que envolve a gastronomia, filmes, inspirações, tendências, lifestyle e teremos até um pouco de moda rolando por aqui!

Escolhi fazer o blog com um tema mais elegante e simples para que todos se sintam a vontade aqui.

Espero que vocês curtam e que possamos nos divertir juntos e compartilhar experiências!!!